Movimento #ÉaHoradoMar!


Foto: Julio Cardoso


O Brasil é azul!


De norte a sul, com quase 8000 km, nosso país possui a maior área costeira do Atlântico Sul, morada de espécies raras e deslumbrantes, e de uma biodiversidade única. São espécies de peixes abrigadas em recifes de corais ou vivendo em mar aberto. Crustáceos e moluscos. Tartarugas, golfinhos, baleias, tubarões! Se os brasileiros e o mundo se deslumbram com a riqueza da Amazônia, sob a superfície marinha não ficamos atrás…


No entanto, apesar de toda essa grandiosidade, o Brasil está longe de cuidar bem de seu oceano. Temos hoje menos de 2% de Unidades de Conservação Marinhas, e a maior parte dessas áreas permite o uso dos recursos naturais. São pouquíssimos os abrigos para a biodiversidade.


Agora isso pode mudar!


Nas próximas semanas o governo brasileiro pode reescrever a história da conservação da biodiversidade marinha e criar o maior conjunto de áreas protegidas do Atlântico Sul: 900 mil Km2 – mais que o tamanho da França – em 2 grandes blocos, um na costa de Pernambuco, a área de São Pedro e São Paulo; e um na costa do Espírito Santo, Trindade e Martim Vaz.



Trindade e Martim Vaz

A cadeia Vitória-Trindade fica a 1200 km de Vitória, no Espírito Santo. A ilha de Trindade é o ponto mais a leste do Brasil, o mais distante da costa, e onde acontece o primeiro nascer do sol do país. A região abriga uma enorme riqueza de espécies marinhas, como moluscos, peixes de mar aberto, tubarões, golfinhos, baleias, esponjas, e 13 espécies de peixes recifais que só existem ali. A ilha de Trindade é a maior área de reprodução da tartaruga-verde no país. Na flora, impressionam as samambaias gigantes, que chegam a mais de 5 metros de altura.

Arquipélago de São Pedro e São Paulo

O arquipélago de São Pedro e São Paulo, no litoral de Pernambuco, fica a cerca de 1000 km da costa brasileira e é o único conjunto de ilhas brasileiras acima da linha do Equador. É formado por pequenas ilhas rochosas, lar do atobá, ave migratória mais encontrada na região, caranguejos, tubarões-baleia e da arraia-jamanta, que na fase adulta pode pesar mais de 1,5 tonelada.